As redes sociais são, sem sombra de dúvidas, uma das melhores inovações trazidas pela internet. E não foi somente no campo pessoal que este recurso introduziu melhorias — o relacionamento das empresas com os seus clientes também ganhou uma atuação cada vez mais preocupada com o atendimento às necessidades individuais.

Em virtude desse crescimento acelerado, surge a necessidade de criar mecanismos para gerenciar de maneira mais eficiente as audiências, no caso o algoritmo das redes sociais. Essa ferramenta exerce um papel decisivo no marketing de conteúdo, proporcionando melhores resultados a qualquer empreendimento. Mas o que exatamente são e como funcionam os algoritmos?

Continue com a gente e entenda o que você precisa saber para melhorar a performance do seu negócio nas redes sociais. Boa leitura!

O que é o algoritmo das redes sociais?

O algoritmo redes sociais consiste em uma fórmula inteligente de separar os conteúdos disponibilizados nas redes e apresentá-los aos usuários com real interesse naquele tema.

Eles nada mais são do que um método eficiente de aproximação das empresas com possíveis clientes, indivíduos com os quais elas têm alguma afinidade. E com isso, fazem com que apareça nos seus feeds de notícias não somente os posts mais recentes, mas principalmente aqueles que satisfaçam seus interesses.

Esses instrumentos representam uma espécie de segmentação de público — compreender quem são as pessoas ideais ao consumo do seu conteúdo e, portanto, priorizá-los no momento da exibição.

Os algoritmos seguem princípios básicos:

  • o tipo de interação do usuário com o conteúdo: quem postou e quais foram as reações, seja comentário, curtida, compartilhamento;
  • a popularidade do conteúdo: se possuem maior engajamento, ganham prioridade no feed.

Por que adotar algoritmos nas redes sociais?

A experiência do usuário é interpretada como principal motivo da implementação de algoritmos nas redes sociais. Entretanto, muitos outros fatores e interesses estão em jogo. Veja alguns exemplos:

Lucro com os anúncios

Qual a melhor justificativa para uma empresa investir em redes sociais, senão aumentar a lucratividade? Pois bem, esta é, notadamente, uma das principais finalidades desse procedimento.

Na medida que o alcance orgânico nas plataformas vai diminuindo, as empresas precisam investir cada vez mais em anúncios para serem notadas dentro das redes sociais. Com elas, é possível atingir o principal objetivo do marketing digital: impactar exatamente os usuários com potencial para se tornarem clientes.

Centralizar os canais de distribuição de conteúdo

A grande tendência das plataformas digitais vem sendo a divulgação de uma gama de conteúdos com o suporte para formatos diversificados. Atualmente, no Facebook, por exemplo, é possível publicar notícias, vídeos, fazer transmissões ao vivo etc. Ou seja, existe uma série de recursos que, até pouco tempo atrás, estavam divididos em cada rede social.

Nesse sentido, os algoritmos aparecem como instrumento apto a aumentar o tempo de permanência dos usuários na rede. Por outro lado, fazem com que as empresas também se esforcem para entregar conteúdos cada vez mais relevantes.

Como performar nas diferentes redes?

Instagram

Originalmente, o Instagram é uma rede que foi criada sem ter como base a utilização de algoritmo. Seu feed foi estruturado para mostrar as publicações em uma ordem cronológica — ao abrir o aplicativo, as postagens mais recentes apareciam no topo, isto é, sempre se via as publicações das mais recentes para as mais antigas.

No entanto, a partir de 2016, algumas alterações foram implementadas no app e a cronologia deixou de ser aplicada, passando a valer as regras de funcionamento dos algoritmos. Hoje, são três elementos que interferem no modo como você acessa a postagens. São eles:

  • tempo: embora tenha perdido a linearidade das publicações mais novas para as antigas, no Instagram ainda há uma organização conforme o tempo;
  • engajamento: o objetivo é identificar as preferências do usuário de acordo com os comentários e curtidas dados em um post e, assim, priorizar no seu feed aqueles com maior engajamento;
  • relacionamento: a rede interpreta as informações colhidas no engajamento e destaca as postadas nas contas com as quais o usuário interage mais.

Tudo isso significa que, apesar de não mais predominar o tempo, o aplicativo tende a mostrar primeiro as publicações ou histórias recentes, e o algoritmo ainda privilegia as contas que têm maior conexão com o usuário.

Não é à toa que hoje o Instagram é a rede social com o maior engajamento. As pessoas não estão ali apenas para compartilhar seus momentos de intimidade — elas também procuram informações e querem encontrar produtos e serviços de interesse.

O Instagram transformou-se em uma plataforma de excelente visibilidade para as empresas, possibilitando um contato mais direto e personalizado com suas personas. Os gestores já perceberam esta oportunidade, uma nova tendência de comportamento do mercado e, por isso, vêm investindo fortemente nos anúncios dentro do aplicativo.

O intuito de desenvolver atuação do seu negócio na rede do Instagram é a conquista dos usuários que possam se tornar compradores, bem como encontrar e interagir com outras empresas, isto é, encontrar parceiros.

Como todo tipo de material destinado a persuasão, é fundamental conhecer as características da plataforma para então potencializar a qualidade e o alcance dos conteúdos. Mais do que mostrar que está sempre presente, certificar-se de que suas ações serão eficientes depende de alguns fatores como:

  • saber qual o melhor horário para postar;
  • criar um conteúdo visualmente atrativo;
  • convidar as pessoas a praticar alguma ação: seja incentivando comentários, marcação de amigos, compartilhamento mensagem direta, clique no link da bio etc;
  • investir na publicação de stories;
  • usar hashtags;
  • reagir às menções e responder os comentários.

Facebook

Em termos de algoritmos, o Facebook foi a rede social pioneira a adotar a ferramenta, a fim de categorizar os posts dos seus usuários. Mas diante do grande número de publicações, entendeu-se que seria necessário filtrar todas elas, na tentativa de evitar que os consumidores se perdessem rapidamente pelo feed.

O algoritmo da rede leva em consideração inúmeros fatores, com o objetivo de que os conteúdos sejam cada vez mais relevantes aos seus usuários. No entanto, o que podemos dizer é que alguns pontos que o algoritmo do Facebook tem por base são:

  • a quantidade de postagens mostradas;
  • o indivíduo que realizou a postagem, bem como a sua relação com os demais usuários e marcas;
  • o engajamento da sua rede de contatos;
  • o índice de engajamento de uma postagem específica;
  • o nível de informação da postagem e sua autenticidade;
  • o potencial de cliques;
  • o período de duração entre o contato do usuário e a postagem etc.

Recentemente, o dono do Facebook anunciou mudanças referente à entrega dos posts. A tendência é que aumente a distinção entre elas, de acordo com os amigos, familiares e os grupos que usuário possa interagir, deixando o feed cada vez mais personalizado.

O uso dos algoritmos pelo Facebook e demais redes sociais tem como objetivo a aproximação de pessoas que tenham interesses em comum. Seu funcionamento reduziu o potencial de conversão orgânica. Mas, por outro lado, as empresas passaram a investir bastante nos anúncios de rede social, como o Facebook Ads.

Ao apostar nessa ferramenta, aumenta-se o potencial de ampliar o poder de encantamento do seu negócio, garantindo maior alcance e impacto das suas ações.

LinkedIn

O LinkedIn é o espaço estritamente profissional, inclusive é a maior rede social destinada a esse fim no mundo. A plataforma concede às marcas a oportunidade de um posicionamento como autoridade no mercado de atuação, elevando assim a chance de um potencial cliente fechar negócio.

O papel do algoritmo do LinkedIn é assegurar que os conteúdos realmente conquistem um reconhecimento de destaque. E, nesse sentido, obedecem a uma sequência de quatro estágios de avaliação:

  • avaliação: o conteúdo postado passa por filtro, para que seja classificado dentro de uma categoria: spam, baixa qualidade ou bom;
  • mensuração de engajamento: o algoritmo acompanha a exposição do material no feed de notícias e analisa o tipo de engajamento que a postagem recebe inicialmente;
  • checagem de postagens virais: o terceiro passo é verificar autenticidade dos perfis. Se a sua conta publicou um conteúdo e recebeu muitos “likes” e comentários, cabe ao algoritmo investigar se a página não é falsa ou está recebendo o engajamento ilusório;
  • revisão manual de conteúdo: função extremamente importante do algoritmo do LinkedIn. Nesse estágio, as postagens que já passaram pelos critérios anteriores são analisadas individualmente por um funcionário, cujo objetivo é verificar os motivos da popularidade do seu conteúdo, e então ele será mais bem avaliado.

O algoritmo redes sociais é um forte aliado das perspectivas do marketing de conteúdo atual — ele é indispensável para a manutenção do alto nível dos materiais produzidos e que se destinam aos clientes ou leads. Há também, nesse contexto, o papel de assegurar a credibilidade desses conteúdos.

Independentemente de quais sejam os canais escolhidos ou mais adequados para a sua empresa, se utilizados por um grande número de usuários, os algoritmos serão indispensáveis para aprimorar as experiências e aumentar o poder de alcance das campanhas de qualquer empreendimento.

Agora conte para nós, o que você achou deste conteúdo? As informações foram úteis para te ajudar a compreender os mecanismos de funcionamento do algoritmo redes sociais? Então aproveite para entender como melhorar suas vendas no nosso port: Quer ajudar o seu departamento de vendas? Invista na nutrição de leads!

Artigo produzido pela Rock Content

Rock Content é uma startup de software as a service que ajuda empresas a definirem e executarem sua estratégia de marketing de conteúdo, utilizando uma rede de mais de 20000 escritores freelancers espalhados por todo o Brasil.

Tags: ,