Nos dias atuais, são raras as empresas que não usam as redes sociais como parte essencial da estratégia de Marketing Digital.

Com a grande adesão das pessoas a esses canais, foram surgindo diversos assuntos sobre o tema na web. Isso é muito bom, mas também tem o lado negativo. Afinal, nem tudo o que se vê na internet é confiável.

Com atualizações constantes e cada vez mais rápidas, muitos conceitos ficaram ultrapassados. Alguns deles, inclusive, são inverídicos. Com o objetivo de desvendar tais enganos, mostraremos hoje 5 mitos sobre as redes sociais que você precisa esquecer.

1. Número de fãs é a principal métrica das redes sociais

O número de fãs é, provavelmente, a métrica mais popular das redes sociais. Por outro lado, está muito longe de ser a mais importante. Claro que é super válido contar com um grande número de usuários curtindo, comentando e compartilhando seus posts. Mas essa situação não é convertida diretamente em vendas e lucros, certo?

A quantidade de fãs ou seguidores representa uma prova social de que seu negócio tem potencial de engajamento entre as pessoas e pode influenciar a tomada de decisões dos visitantes. As questões que devem ser observadas são as seguintes:

  • Esses fãs têm o poder de influenciar outros usuários?
  • São potenciais clientes?
  • Estão qualificados como eventuais representantes ou defensores de sua marca?

Essa é uma métrica de vaidade e que, sozinha, não tem poder para indicar se as suas ações de Marketing Digital estão tendo resultados reais.

2. Meu público não está nas redes sociais

É praticamente impossível que seu público não esteja nas redes sociais. É claro que nem todos os potenciais clientes usam esses canais, mas é bem provável que boa parte tenha, ao menos, uma conta no Facebook.

Só o Facebook conta com mais de 2 bilhões de usuários no mundo, 139 milhões deles no Brasil. Outro exemplo de rede social utilizada de forma massiva no país é o Instagram, que se tornou o canal queridinho das marcas.

Outras redes de muito sucesso por aqui são, por exemplo, LinkedIn, Twitter, WhatsApp, Facebook Messenger e YouTube. Isso quer dizer que, com tantas pessoas conectadas a esses canais, é pouquíssimo provável que seus clientes não estejam ao menos em uma delas.

3. Preciso ter páginas em todas as mídias sociais

Não existe a necessidade de a sua empresa estar posicionada em todas as redes sociais. Além de essa situação ser extremamente trabalhosa, dificilmente você conseguirá alimentar todos os canais com excelência.

Também considere que a maneira como o seu negócio se posiciona no Instagram pode não valer para o Facebook, por exemplo. Afinal, as redes sociais têm suas diferenças e, por isso, devem ser usadas de acordo com as suas peculiaridades.

Nesse sentido, é essencial que você conheça verdadeiramente o seu potencial cliente e construa a sua persona. A partir daí, você saberá exatamente quais são os canais de preferência da sua audiência. É nas mídias prediletas do seu público que você deve se concentrar.

4. Quanto mais conteúdo, melhores os resultados

Está aí mais um equívoco bastante comum que acontece com as empresas que estão iniciando seu trabalho nas redes sociais.

É possível que você tenha a impressão que, quanto mais entregar conteúdos, mais pessoas serão alcançadas e impactadas. Acontece que existem duas situações aqui.

Na primeira situação, posts em excesso podem chatear e até mesmo gerar aversão nos seguidores ou fãs. Não é só porque eles admiram sua marca que, necessariamente, vão consumir ou terão interesse em tudo que você compartilha. É necessário focar na qualidade para que seus conteúdos não sejam publicados sem proporcionar bons resultados.

Na segunda situação, não faz o menor sentido publicar constantemente se o critério utilizado para o post aparecer na timeline das pessoas é a relevância. No Facebook, por exemplo, os conteúdos são entregues para os usuários de acordo com os assuntos que eles preferem. Ou seja, se você curte muito os posts de uma determinada página, aumentam as chances de eles sempre aparecerem na sua linha do tempo.

5. Tenho que excluir os comentários negativos para não causar má impressão

Ninguém gosta de comentários negativos. O ideal, portanto, é que sua empresa trabalhe para não receber observações indesejadas. No entanto, sabemos que a realidade é outra e que incidentes podem acontecer. Sendo assim, é essencial que você esteja preparado para agir quando eles acontecerem.

Temos de ter em mente que, nas redes sociais, as informações se espalham em uma velocidade impressionante. Dependendo da situação, apagar um comentário negativo vai apenas piorar as coisas e gerar um impacto ainda maior na repercussão de um determinado caso.

Sobram exemplos de empresas que incorreram na imaturidade de apagar comentários e, por isso, afundaram ainda mais. Lembre-se de que tudo que você publica em sua página tem visibilidade pública. Por isso, deletar um comentário negativo pode chatear ou até revoltar o visitante, que provavelmente comentará de novo e até poderá postar o print screen da observação apagada.

Se você quer ter uma ótima reputação nas redes sociais, aprenda a lidar com os retornos negativos. Um feedback ruim nas mídias sociais faz parte da rotina de qualquer empresa e, por isso, não deve ser ignorado, tampouco excluído.

E aí, o que achou dos mitos das redes sociais? Curtiu? Essas foram apenas ideias iniciais a respeito do trabalho que deve ser desenvolvido nesses canais. Se você quer ficar absolutamente por dentro de tudo sobre o assunto, baixe agora o nosso Guia Definitivo das Redes Sociais.

0 Comentários

Deixe um comentário


Bume